quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Boa crica, boa queca!

Desta vez, este é um slogan que corresponde totalmente à verdade!
Tenho aqui que elogiar publicamente a minha parceira de prazer de ontem à noite.
Já nos conhecemos há muito tempo. Desde os tempos dos escuteiros, vejam só! Contudo, só mais tarde passámos da exploração das matas e do auxílio ao atravessamento de idosas mancas, para a exploração de vales, montanhas, grutas e menires (o meu zezinho, claro está. As restantes analogias são muito fáceis de perceber…).
Ela tornou-se numa mulher despudorada, segura de si, do seu corpo, do seu sexo! É a parceira perfeita. Sempre disposta a novas experiências e sensações e, muito atenta ao meu prazer.
E o corpo. Bem aquele monumento de corpo, o rabinho perfeito, o cuzinho apertadinho, a coninha rapadinha e molhadinha, não esquecendo aquelas duas montanhas redondinhas que apetecer abocanhar com sofreguidão.
Tento sempre recebê-la como uma senhora. Ontem até lhe apareci à porta de fato e gravata. Acendi várias velas com aroma a chocolate e preparei o fondue do mesmo ingrediente. No frigorífico coloquei champanhe (do verdadeiro, nada de espumosos gaseificados!) e no congelador um vibrador. Sim, um vibrador!
Isto porque o meu zezinho esforça-se por ser muito competente, mas é só um! E eu sei que esta deusa da cópula gosta de estar duplamente preenchida, por trás e pela frente. Para além disso, diz adorar a sensação de estar a ser penetrada pelo meu caralho quente e pulsante pela frente e, preenchida por um dildo gelado por trás.
Foi uma bela maratona de fodas, a desta noite. Lambi e mamei muito. Penetrei e vi-me muito. Ela também lambeu e mamou muito, não penetrou nada (como convém) e veio-se também muito. Tenho a certeza na genuinidade do seu prazer. Ela não é dada a fingimentos.
Certa vez não consegui que atingisse o orgasmo e disse-mo frontalmente, sem gemidinhos ou gritinhos da candonga. Prefiro assim. Gosto de receber e de dar prazer, porque saber-me capaz disso aumenta ainda mais o meu contentamento.
Hoje sinto-me revigorado. Como ponto alto da noite passada, destaco o minete com sabor a chocolate que lhe fiz. Sim, porque ao contrário do que outros defendem, as cricas podem ser besuntadas com comida sim! Aliás, qualquer parte do corpo pode. Se nunca o fizeram, por favor experimentem!
Bem, agora se me dão licença, tenho de ir ali comer uma gemada para recuperar as forças!

11 comentários:

Loulou de Lyon disse...

Dá-le!

Summerparis disse...

Este relato, inspira :)

Zé das Cricas disse...

Loulou,

Já dei!

Zé das Cricas disse...

Summerparis,

Fico contente pelo relato de partes da minha vida inspirarem.

Beijos

Vontade de disse...

Tu revitaliza-te homem. Mulheres assim só podem ser boas quecas... como defendes. ;)

Ana disse...

Grande festa que isso foi!

Zé das Cricas disse...

Vontade,

Já estou pronto para outra!

Beijos

Zé das Cricas disse...

Ana,

Garanto-te que foi uma festa monumental!

Beijos

Carla disse...

Zé...assim de repente, mas mesmo muito de repente....conheço dois gajos que escrevem quase como tu...acho que lhes falta a gemada, salvo seja.

un petit bisou

Zé das Cricas disse...

Eu tomo muitas gemadas. Afinal um homem não se deve ir abaixo!

Beijos

Viscone de Sade disse...

meu grande amigo, você é simplesmente genial. E mais n digo