quinta-feira, 15 de abril de 2010

“Zé das Crricass, je t’aime!”

Eu Zé das Cricas, fico tão contente por ver que as minhas leitoras tesudas e os leitores caralhudos que por esta cama se passeiam, não deixaram os lençóis arrefecer, mesmo sem a minha presença por tão larga temporada.
Quanto à potranca lambisgóia que andei a papar no mítico fim-de-semana, já passou à história. É certo que ressaquei muito à custa dela, vocês foram testemunhas disso, mas o que lá vai lá vai.
Soube agora até, que a dita já devolveu ao namorado, a caverna onde eu andei a fazer exploração conal. Agora, não há vez em que eu passe pela criatura e não pense: “Gostas? Também já provei….”
Então dado este episódio lamentável da minha vida sexual, decidi a sábio conselho dos meus estimados leitores e leitoras, fazer um interregno nas actividades blogosféricas. Fez-me muito bem, sim senhores.
Mas não foi em Portugal que encontrei a solução para o problema. Andei por aqui, perdido neste rectângulo, sem vontade de dar berlaitadas! Que drama! Jamais pensei deixar de ter vontade de foder uma boa potranca…
Então, a semana passada pensei: “Porque não tirar uma semana de férias e ir para qualquer lado longe daqui?”
E lá foi o Zé de mala aviada (não de cartão, muito mais chique, mas a marca não me paga para a publicitar… ainda!) para Paris. Ao início, ainda ressacado: Champs Elysées, que bonito mas, que tédio… Torre Eiffel, que vista estonteante, mas ai que tenho vertigens… Fodasse, que estava tão bem na caminha portuguesa!
Até que tive a iluminada ideia de ir ao Louve. Não há vez que vá à cidade luz, que não vá fazer uma visita à potranca renascentista que gostava de foder: A Mona Lisa! Aquela boca enigmática deixa-me fora de mim! Cá para mim, ela tem a boca fechada, porque se a abrisse, ficaria demasiado óbvio que era exímia brochista…
Quando estava a contemplar a inatingível mamadeira, reparei numa potranca engraçada que também fitava o quadro. “C’est magnifique, n’est pas?” , dizia a potranca.
Ao que eu respondi no meu melhor sotaque da Alliance Française “Bien sur, mademoiselle.” Foi inevitável, não fazer naquele momento a ligação: Gioconda – boca de broche- fancesa (ainda pensava que era francesa) – boca de broche- belo broche!
No momento era sentir o meu guerreiro a levantar-se da tumba onde estava sepultado, com vontade de conquistar cavernas por terras estrangeiras! Foi visceral, tive que me conter para conseguir articular um discurso credível, que me permitisse conhecê-la e comê-la.
Convidei-a para um croissant ou um petit gâteau, ao que acedeu. Descobri que a moça é de Bruxelas, mas está a fazer um estágio numa empresa Parisiense. Vive lá há três meses. Conversa vai, conversa vem, anoiteceu e ofereci-me para a acompanhar a casa. Lá chegados, convidou-me para subir.
Subi eu e subiu imediatamente também o meu Zezinho. No instante a seguir estávamos a despirmo-nos como se não houvesse sexo há dez anos. É certo que eu já não descarregava o conteúdo do tomatal há um mês, a ela, porém não lhe perguntei. Mas estava sôfrega, a tesuda Posso dizer-vos que me vim como nunca. Humm, que bom sentir aquele jacto a sair das nossas entranhas …
As fodas em casa dela ainda se repetiram por mais três dias. Foi maravilhoso. O costume: descompromissadas, descomplexadas, repletas de prazer para os dois (espero) e no fim: adeus!
Quem disse que Paris é a cidade do amor? Deve ter sido alguém que não praticava bom sexo… Afinal, já percebemos que essas tretas dos amores dão muitas dores de cabeça para pouca tesão.
Ah e, caros anónimos ressabiados, sim, estou de volta e vocês lá terão que fazer o sacrifício de virem cá espreitar-me pelo buraco da fechadura…

15 comentários:

Vontade de disse...

O homem voltou! HABEMOS ZÉ!

Fico muito contente por ver que voltaste ainda mais vigoroso. ;)

Zé das Cricas disse...

Querida Vontade,

Neste momento, vigor é coisa que não me falta!

Beijos

Selina Kyle disse...

Fico feliz por te ver de volta com a bola toda,pronto para outra.

Beijos

FiLx disse...

Zé,

mon amour, que felicidade, voltaste!
Vou continuar a vir-me aqui...

Beijos

Laura disse...

finalmente de volta ;)

Bianca disse...

De volta “minha tua cama”!!!!!
Uauuuuu, senti falta destes lençóis e como sabia que não ia tardar…
Estávamos (pelo que li) ansiosos pelo regresso, que bom!
Tua Cabra.

Xanno disse...

Welcome back Zé....

Zé das Cricas disse...

Selina,

Para outras!

Beijos

Zé das Cricas disse...

Filx,

Vem-te sim, querida!

Beijos

Zé das Cricas disse...

Laura,

Finalmente...

Beijos

Zé das Cricas disse...

Bianca,

Estes lençõis são teus, sempre que te apetecer...

Beijos

Zé das Cricas disse...

Xanno,

Thank you very much!

Lu! disse...

Que bom k voltas-te =)

Zé das Cricas disse...

Lu,

Ah pois é!

Stargazer disse...

Zé e Zézinho,

Que alegria ver-vos. (Não sei qual dos dois me agrada mais).

Beijo-vos, com beijos de luxúria perdida no desejo dos 7 sentidos,